jusbrasil.com.br
22 de Setembro de 2019

Concurseiro não faz nada?

Gerson Aragão, Defensor Público
Publicado por Gerson Aragão
há 2 anos

Resultado de imagem para TEMPO LIVRE

Qual concurseiro não passou por aquela situação em que, estudando em seu quarto, algum familiar ou colega o chama pra fazer outra coisa, já que “você não está fazendo nada”?

Sabemos como dói ouvir isso, principalmente de quem somos mais próximos. Mas isso não ocorre só com você. Nem todo mundo sabe como é árdua a vida de quem se dedica aos concursos públicos, que abdica de alguns momentos de lazer com a família, de um emprego ou de outras atividades para buscar o sonho de ocupar um cargo público.

O melhor a se fazer é sentar com essas pessoas, explicar melhor como funciona o estudo para concursos, a necessidade de concentração (não dá pra ajudar toda hora com afazeres domésticos ou outras pendências alheias) e que isso demanda tempo e paciência. Pode ser que você passe depois de seis meses, um ano, três, cinco ou dez anos. Isso você sabe que dependerá de sua dedicação, resiliência e capacidade de adaptação. Contar com apoio de seus entes queridos e amigos é de grande valia pra vencer essa batalha!

Assista essas dicas dadas pelos professores Gerson Aragão e Márcio Cavalcante:

Como destacado no vídeo, se, porém, seu familiar ou amigo não entende essa sua dedicação ou até mesmo o critica, aprenda a blindar seus ouvidos desses comentários que em nada o ajudarão.

A melhor resposta pra isso tudo, sabemos, é a sua aprovação. Portanto, dedique-se! Em breve estará tomando posse no tão sonhado cargo, servindo ao público brasileiro e podendo tocar seus demais projetos pessoais.

Em nosso ebook, damos algumas dicas de self coaching que você poderá empregar para enfrentar essa e outras situações e poder focar nos estudos! Baixa lá! É grátis!

3 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Verdade! A dificuldade diária de mostrar à família que estamos buscando o melhor é lamentável.Tenho 59 anos.....agora são 1:31, estudando para o MPU e rezo todos os dias para ter um pouco de paz para estudar.É incompreensível a falta de estímulo de quem mais amamos.Parabéns pelo artigo! continuar lendo

passo pelo mesmo mesmo tendo 29 anos a pressão é a mesma continuar lendo

Cheguei numa fase da minha vida a estudar nada menos que doze horas por dia, para ouvir de algumas pessoas que eu "não fazia nada". continuar lendo